Pintura de Fachadas

As fachadas são o “rosto” das casas e devido à sua exposição permanente aos agentes externos necessitam de manutenção. A sua reabilitação deve ser feita com uma frequência adequada, para evitar infiltrações no interior das habitações. A existência de fissuras nas fachadas está associada a problemas de infiltrações.

A pintura de fachadas de edifícios para além de assegurar o aspeto estético de devolver a cor original ou uma nova cor, deve assegurar a impermeabilização do.

A não reparação ou re-pintura atempada das fachadas pode acelerar a degradação das paredes / rebocos, obrigando a uma reparação que pode ser mais onerosa.

A pintura frequente das fachadas de um edifício (5 em 5 ou de 10 em 10 anos, dependendo da necessidade) leva a uma poupança de custos de manutenção considerável.

Guia Prático – Pintura Fachadas

Se vai pintar uma fachada, seja de uma moradia ou de um edifício

1 – Escolher a tinta adequada

A tinta adequada para a fachada depende do tipo de paredes exteriores (betão, alvenaria, paredes antigas etc.).

Normalmente utilizam-se tintas acrílicas, uma vez que impermeabilizam, mas deixam “respirar” as paredes.

As tintas de membrana têm maior elasticidade (não fissuram tanto como as tintas acrílicas), mas não deixam as paredes respirar e podem criar “bolhas”. Aconselhe-se com um técnico antes de utilizar estas tintas.

Para paredes antigas, onde é necessário uma maior permeabilidade, por vezes utilizam-se tintas à base de siloxanos.

2 – Escolher a cor

A escolha da cor deve ser feita com a realização de uma amostra. A escolha de cor pode catálogo muitas vezes não corresponde

3 – Calcular as quantidades

Normalmente as empresas de pinturas, quantificam as metragens e áreas de pintura. Caso queira calcular as quantidades podem medir o comprimento das fachadas, multiplicar pelo número de pisos e pela altura de cada piso. Posteriormente deve subtrair a área das janelas e outros elementos que não vão ser pintados.

4 – Pedir orçamentos

Pedir vários orçamentos é fundamental por poder comparar. Também pode utilizar um pedido de orçamento a empresas certificadas de pinturas.

5 – Adjudicar a obra

Analise bem o orçamento, pergunte o que não está incluído (por exemplo licenças camarárias e outras). Peça os seguros e se forem montados andaimes, um termo de responsabilidade.

6 – Acompanhar a obra

Verifique se os meios de elevação (andaimes e outros elementos foram montados com segurança). Antes de aplicação do primário a parede deve estar bem limpa para melhor aderência. Certifique-se que o primário foi aplicado. O primário vai melhorar a aderência e selagem. Verifique se são dadas as demãos que constam no orçamento.

Reparações

Antes de se dar inicio ao processo de pintura, as fachadas devem ser reparadas. Todas as zonas de fissuras ou em que o reboco esteja a descascar devem ser picadas ou avivadas.

Deve proceder-se à devida reparação com argamassas compatíveis com os materiais existentes.

A correcta avaliação da natureza dos rebocos originais é importante, no sentido que a reparação deve ser feita com rebocos da mesma natureza. Caso contrário, podem vir a verificar-se problemas de fissuração e ou condensações e humidades no interior (dentro das habitação).

Limpeza da fachada

A fachada antes de ser pintada deve ser limpa, por forma a remover materiais soltos e que não promovam a fixação da tinta à fachada. A limpeza antes da pintura, é feita normalmente com jacto de água a alta pressão. Nesta fase podem eliminar-se fungos e outros contaminantes que podem danificar a pintura se não forem devidamente tratados. Mesmo com pintura anti fungica.

Primários

O primário assume a ligação entre a tinta e o suporte, sendo normalmente, podendo desempenhar também um papel importante no aparecimento de fungos.

A utilização de uma primário de qualidade é um passo que muitas vezes é menosprezado, mas tem importância reconhecida na qualidade final do trabalho.

Tintas

A escolha de uma boa tinta é fundamental. E as tintas não são todas iguais. Existem tintas de qualidade superior que vão durar mais e que resistem às intempéries e aos raios UV, evitando o aspecto de escorrência.

O facto de uma tinta de qualidade superior necessitar de menos demãos de pintura para obter o mesmo resultado comparando com uma tinta “de qualidade inferior” está associada a um acabamento também superior devido ao menor número de camadas de tinta. Isto deve-se à melhor qualidade de um componente da tinta que é o pigmento e o fixador.

Impermeabilizações

Durante a pintura, devem ser feitas também impermeabilizações de elementos como janelas (substituição de silicones vendantes), pedras e cantarias (soleiras de janelas, pedras decorativas, peitoris etc.) com material de impermeabilização adequado, juntas de dilatação e outros elementos.

O aproveitamento dos sistemas de elevação que serão utilizados para a pintura, podem ser também utilizados para este tipo de reparações, representando uma poupança considerável de forma global.